segunda-feira, 11 de julho de 2011

Escola libertadora e escola libertária...

Tendência Progressista Libertadora
Papel da Escola: Atuação não formal. Percepção e questionamento da realidade para transformação social. Educação crítica.
Conteúdos: São retirados da prática, da realidade dos alunos. Caráter político.
Método: O diálogo entre professor e aluno é a base metodológica. Como é considerado um animador o professor deve trabalhar no nível dos alunos.
Professor x Aluno: Relação horizontal, sendo assim, os dois são sujeitos do conhecimento. Não há autoridade.
Pressupostos: Educação problematizadora, que se dá a partir da codificação da situação problema. Conhecimento da realidade. Processo de reflexão e crítica.
Prática Escolar: Seu inspirador é Paulo Freire. Movimentos populares: sindicatos, educação para adultos, há professores que vêm tentando colocar em prática todos os graus de ensino formal.

Tendência Progressista Libertária:
Papel da Escola: Mudança na personalidade do aluno, alterações institucionais à partir dos níveis subalternos.
Conteúdos: As matérias ficam à disposição dos alunos, porém não são cobradas, depende do interesse de cada um.
Método: Vivência grupal na forma de auto-gestão.
Professor x Aluno: É não diretiva, o professor é orientador e os alunos livres.
Pressupostos: Aprendizagem informal, relevância ao que tem uso prático. Tendência anti-autoritária. Crescer dentro da vivência grupal.
Prática Escolar: Trabalhos não pedagógicos mas de crítica as instituições. Relevância do saber sistematizado.
Freinet, Miguel Gonzales Arroyo .

O que fica desta forma de concepção do ensino em artes visuais é que, nas propostas Libertadora e Libertária, a arte/educação abrange as produções culturais marginais ou consideradas indignas da arte/educação e propõe uma perspectiva transdisciplinar na qual a compreensão cultural seja impossível sem a sua contextualização.
É necessário que as artes visuais sejam ensinadas através do pensamento de rede, onde o aluno é ensinado vinculado ao seu cotidiano e a produção contemporânea.
As pedagogias Libertadora e Libertária direcionam a aventura, a liberdade, a criatividade, a busca de situações novas, o respeito à sujeitos encontrados no percurso.
Elas nos levam a uma arte embasada na auto reflexão, na desconstrução e na construção, onde a permanente mutabilidade de todos os sujeitos envolvidos no processo educativo permitem a apropriação de diferentes conceitos que evoluem de acordo com as experiências de cada um.



Um comentário:

  1. Obrigada pela síntese, acredito que agora é possível compreender um pouco dos dois. Ótimo trabalho!

    ResponderExcluir